musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - IRREAL - LETODIE - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Irreal letra


Ruas vazias, calçadas frias, vitrines
Que não exprimem o eu que sinto, e eu absinto, como em um filme
Sucesso de bilheteria, sem conteúdo
Eu me tornei tudo aquilo que eu disse que não seria
Merda ultimamente é o que mais tenho feito
Eu me perdi entre goles, porres, tragos, maços, peitos
Escuro, e daqui eu só vejo silhuetas
Onde quem tem respeito é quem come mais buceta
Darwin, eu entendo só agora a evolução
Talvez eu me tornei assim pela situação
A adaptação, e meu incrível dom
De reviver o passado, de partir coração
E tudo que fiz de errado veio à tona, como sempre
E eu dando desculpas atoa, comumente
Ela disse: como mente!
É, como sempre! Já faz tempo que eu nem sei o que é real, sério
É domingo, tá frio, e eu longe de casa
Matei um maço de Marlboro e a dois meses nem fumava
Sai sem rumo, só eu, Deus e a luz da lua, escuta
Na madrugada, o lar dos poetas e das putas

E eu não sei se isso aqui é o mundo real
Mas eu já nem sei se eu queria que isso fosse real
Meu castelo de poeira, trono de mentira
Desmorona toda noite, eu sei, o mundo gira ainda assim todo dia é igual

Rasguei todas as fotos que estavam sobre a estante
Eu tento não surtar pra que tua falta não me espanque
Não tem Skank que dê jeito, olha o que você fez
Eu só queria dopar pra acordar daqui seis mês
Mas é tudo é relativo, impõe imperativo
E o absurdo é que nem eu me sinto vivo, pensei
Sério, sou mistério pra quem vê fora
Porque se parar pra ver por dentro você chora
Sempre achei que eu fosse um imã de problema
E demorei pra perceber que eu quem dava sufoco
Só nos esquemas, sempre agindo sem conduta
Filho da puta demais pra jogar a culpa pros outros
E agora a vida me ensinou que não é fácil, não
E só agora eu vi que eu não sou de aço, não
Mas sendo tarde, rumo ao desconhecido
Desejando voltar pra onde não devia ter saído
Eu sigo nessa e que se foda, sim
Quem não tem rumo não tem pressa e muito menos vê o fim
Sem destino, só eu, Deus e a luz da lua, escuta
Na madrugada, o lar dos poetas e das putas

E eu não sei se isso aqui é o mundo real
Mas eu já nem sei se eu queria que isso fosse real
Meu castelo de poeira, trono de mentira
Desmorona toda noite, eu sei, o mundo gira ainda assim todo dia é igual

LetoDie - Letras

©2003 - 2017 - musicas.mus.br